quinta-feira, 9 de abril de 2009

ILEGAL, IMORAL OU ENGORDA

Por 69 a 18, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou na noite de terça-feira (7) o projeto de lei antifumo do governador José Serra (PSDB), que proíbe o consumo de cigarro e similares em recintos coletivos do Estado de São Paulo.
Relacionado á isso, achei um tópico muito interessante na comunidade “Psicanalise de Freud a Lacan” que tem 28 mil membros. Resumi a discussão pra postar aqui porque, diga-se de passagem; - Eu concordo.
...........................................................................................
”Uma cena do filme “A guerra dos Roses”
Num determinado momento, o advogado do casal, Danny de Vito, quebra um objeto lacrado onde guarda um cigarro que ele mantinha em caso de emergência. A mulher do seu amigo ( Michael Douglas) a Kathleen Turner tentou seduzir o Danny, ele negou fogo. Daí ela sai , ele aflito vai lá e pega o cigarro... “ uma cena genial” pois na realidade ocorre isto mesmo.
Num mundo poluído como o nosso, parece que sobrou pro fumante pagar a conta. Alguem tem que pagar, não é? As vezes parece que é mais fácil responsabilizar os fumantes pela “destruição em massa dos pulmões da humanidade” do que trabalhar pelo controle da poluição. Será mesmo que um fumante (num espaço amplo, em área reservada) incomoda mais do que aquele maldito escapamento de ônibus bem na sua cara? Mais do que todos os veículos na hora do rush? Mais do que as industrias e todo lixo urbano e industrial que vive por aí? Mais fácil culpar o fumante.
Li num livro chamado “Fumar faz bem pra você” a teoria do autor. - O aumento dos casos de câncer e doenças respiratórias precisava ter uma explicação. E é claro que ninguém vai responsabilizar a “revolução industrial”. É preferível achar um culpado dentro de casa. “Você fumou? Ah, ta explicada a sua tosse. Não fumou? Ah, alguém fumou perto de você - . Há pouco tempo, falando com meu médico homeopata (não fumante) eu falava sobre isso e perguntei a ele se realmente eu usava uma arma de destruição em massa, condenando a morte todos que se aproximasse da minha fumaça letal. Concordamos que há malefícios, mas há também muita paranóia.
Certa vez, na Disney, próximo a um banheiro havia uns bancos, isto ao ar livre, sentei lá e comecei a fumar, chegou uma policial daquelas bem negras e grandonas e me mandou apagar o cigarro, eu apenas questionei que eu estava ao ar livre e não existia placas proibindo fumar naquele local.Ela gritou, mandou apagar o cigarro caso contrario iria me expulsar do parque.Ok, ok, eu disse...Apaguei, mas disse que antes eu tinha passado numa área de fumantes, onde lá estavam varias mães com bebes sentadas dando de mamar na área dos FUMANTES, então resolvi não fumar lá e somente o fiz aqui porque notei que aqui eu não iria incomodar ninguém .Ela "mandou" voltar lá, e fumar somente lá. Isto é um problema público ou de direitos?
Um amigo meu aqui no Brasil resolveu parar de fumar, 5 dias depois morreu...Saiu as 5 da manhã de sua fazenda pegou a Castelo Branco adormeceu no volante e entrou debaixo de um caminhão.
A pergunta é: Caso ele ainda fumasse aquele cigarrinho na estrada acha que ele iria pegar no sono logo de manhã?
Eu vivi numa época onde as pessoas eram felizes porque fumavam, adoravam fumar, e isto era muito agradável. Ora bolas, uma obra prima do cinema “Casa Blanca”, Humphrey Bogart e Ingrid Bergman não fumavam? Qualquer filme, qualquer cena, tinha um cara ou mulher fumando. Pergunte a qualquer fumante: Depois de uma bela transa o que ele faz? Tem coisa melhor?
Quem mora aqui em SP próximo a esses rios que cruzam nossa cidade, sabe bem a qualidade do ar que respira. A maioria das pessoas que mora próxima a estes rios está sempre doente. O cigarro é o de menos, mas e o ar?
O caso é; as escolhas que fazemos. Mas deveríamos pelo menos ter o direito de escolher como iremos viver neste planeta. Sabemos que comer doces pode fazer mal, beber faz mal, alias tudo que é bom ou é proibido ou engorda... Porem, sabemos tambem, que quando fazemos uma escolha estamos renunciando a algo"

Depois de todo esse discurso, e pra terminar, um pensamento de Mário Quintana
“Desconfia dos que não fumam, eles não sabem suspirar”
Video de Tom com Sinatra. Sinatra nasceu em 1915 e morreu em 1998 (não foi de cancer)

8 comentários:

Alessandra Bourdot disse...

Ou, como eu li em algum lugar, alguém dise:

- Você fuma? Você não sabia que isso é um suicídio lento?

E o fumante:

- Mas quem é que está com pressa?

Isolda disse...

Oi Ale,

Muuuuuito bom!!..rs

HenryRoss disse...

Olá Isolda, estou mais uma vez registrando presença aqui!... =)

É sempre bom vir ler suas postagens e também assistir a um bom vídeo no final...!

Parabéns pelo sucesso!

HenryRoss

www.robertocarlos-internacional.blogspot.com

HenryRoss disse...

Olá Isolda, mais uma vez eu aqui, mas é que agora lembrei de pergunta... se Vc tem as letras das versões italianas...:

II mio difetto é volerti troppo bene, Non ci toccheremo più, Prova a scordare...

Lá no meu blog reúno tudo que pesquiso de letras das músicas gravadas por Roberto Carlos...

Se as tiver, eu ficaria muito grato em recebe-las!

www.robertocarlos-internacional.blogspot.com

Obrigado, Até Mais!
HenryRoss

Isolda disse...

Oi Henry,
Obrigada pela visita.
Vou ver se encontro essa letra e mando pra vc, ok?
beijos

C. Marley disse...

Nobre colega Isolda,

Sobre o texto postado eu comentaria com um trecho de um artigo de Léon Denis "Livre-Arbítrio e Providência" de Léon Denis: “A primeira coisa que o homem faria, se possuísse liberdade absoluta, seria afastar de si todas as causas de sofrimento, e assegurar para si uma vida plena de felicidade: ora, se existem males que a inteligência humana tem o dever e os meios de conjurar e destruir, como os que provêm do ambiente terrestre, outros existem que são inerentes à nossa natureza, como os vícios, que somente a dor e a repressão podem domar.”

Um grande abraço

Isolda disse...

Concordo Marley,
Liberdade acima de tudo, certo? Direitos humanos...
beijos

Tereza Freire disse...

Muito bom o seu blog! Cheguei aqui através do "A Balestra". Parabéns pelo sucesso das composições!
A análise sobre fumantes está perfeita! Hipocrisia de todos os lados: governo, sociedade, pesquisadores... todo fumante é vítimas de discriminação. E o pior é que não há precedentes nas leis que acoberte seu direito de fumar sem ser mal visto ou enxotado de todos os lugares. Mesmo os que respeitam os não fumantes, evitando acender cigarro em lugares fechados ou com presença de não fumantes por perto. Abraços.