terça-feira, 28 de dezembro de 2010

TUDO DE NOVO


Final de ano, tempo de balanço geral, daí muitas vezes bate aquele sentimento de culpa por não ter conseguido cumprir tudo o que se prometeu no inicio do ano.

Mas é aí que pequenas coisas são capazes de mudar todo um contexto.

Hoje me dei de presente um CD, que entre canções havia uma especial - On the sunny side of the street (o lado ensolarado da rua). Uma canção de Jimmy McHugh e Dorothy Fields de 1930. Achei esse CD por acaso, apesar de não acreditar em acaso.

Foi assim que faltando 4 dias pro ano acabar, resolvi acabar de uma vez com qualquer sentimento blasé e partir pro ano 2011 num ritmo mais light, deixando atrás da porta de 2010 todas as antigas preocupações, procurando caminhar por essa rua de doze meses do melhor lado, porque se um acordo é sempre melhor que uma disputa, a vida pode ser bem mais doce se a gente caminhar do lado que bate o sol.

Então, como diz a letra da canção "pegue seu casaco, seu chapéu e vamos lá"..

Vamos descobrir o lado ensolarado de 2011. Um ensolarado ano novo pra todos nós.

video


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

SWEET DREAMS...


Já li diversas vezes sobre a força que tem os nossos pensamentos e já tive provas concretas que funcionam. Juro. O problema é que quando a gente está dentro de uma crise, normalmente a atenção dada a ela é mais forte do que a crença, que as coisas estão mudando.
Acabei de ler num blog; "Se você primeiro criar o hábito de observar seus pensamentos e depois criar o hábito de substituir pensamentos negativos, por positivos, ira paulatinamente tendo resultados".O difícil é ir "paulatinamente substituindo".
Dá pra ir substituindo, quando o computador trava no meio de uma das melhores frases/idéias? Ou quando o telefone toca às 7hs da manhã e é telemarketing? E quando é aquela pessoa que você daria tudo pra que ela riscasse seu nome da agenda?
Conheço uma pessoa, que apesar de todos os golpes que sofreu na vida, gosta de se divertir jogando uma pessoa contra a outra. Essa é sua performance. Ha anos se diverte assim.Com direito a criar histórias mirabolantes, casos que jamais aconteceram e diálogos imaginários. Seu passatempo consiste em fazer duas pessoas se desentenderem e ri muito promovendo sua guerra particular, talvez como uma forma de se vingar do mundo, que até por razões óbvias, a exclui.
Parece filme, personagem, mas não é; Existe, é real. E o pior, como é uma pessoa bem próxima, de tempos em tempos, lembra de mim e volta a atacar. E eu não posso simplesmente deletar.
Nesse caso, a teoria do pensamento positivo, não funciona. Olha que eu tentei...
Mas como diz um amigo meu; será que não são justamente essas "pedras no caminho", que instigam a caminhar?
Será que não são esses nossos aparentes “inimigos", os maiores incentivadores dos nossos sucessos? Será que não seriam eles, uma grande razão para que a gente lutasse com perseverança, para provar a eles e principalmente a nós mesmos que somos bons?
Prefiro acreditar que sim, assim como prefiro acreditar que com ou sem crise, com ou sem amigos-inimigos, vale a pena acreditar nos nossos sonhos, que sempre (não importa quando e como) se realizam. Certeza. Eu garanto. Assim como garanto que o dia sempre vai nascer depois da madrugada e todos os dezembros serão natal, em todas as partes do mundo. Pode apostar.
Bom natal a todos os meus amigos (ou não). E bons sonhos. Sempre.
Musica do filme French Kiss - Um filme onde todas as adversidades foram necessárias para o happy end - Les Yeux ouverts (dream a little dream of me) - grupo Beautiful Song -
video