sábado, 3 de abril de 2010

CHICO XAVIER

Sábado de aleluia, chovendo, meio da tarde e o cinema lotado. Fila enorme e a sala completa. Que filme é esse? – Chico Xavier.
Como de praxe, um filme que tem a direção de Daniel Filho é sinônimo de sucesso e esse, especialmente pela biografia contada, baseada no livro de Marcel Souto Maior, não poderia deixar de ser.
É a história de uma criança diferente das outras, tímida, calada, sofrida, que tinha como confidente sua mãe – já morta – e seus amigos desencarnados.
Acho que a maioria dos brasileiros conhece sua vida, sua dedicação e a grande ajuda prestada não só as familias que buscavam mensagens de entes queridos, mas tambem a justiça, desvendando crimes insolúveis através de confissões psicografadas de vítimas.
Um filme assim em outras épocas, seria alvo de chacotas, ironias e descrença. Hoje em dia o assunto, mesmo para os descrentes, merece o devido respeito.
Fui criada ouvindo sobre kardecismo por parte do meu pai, apesar de estudar em colégio católico. Crescí no meio do caminho, até que comecei a questionar um lado e o outro. Através do tempo, dos acontecimentos em minha vida e de estudos da história geral encontrei mais sentido nas explicações espirituais, que nos mistérios convencionais e mesmo não sendo frequentadora dessa ou daquela, cheguei ás minhas próprias conclusões (até por uma questão de lógica).
Assim como Chico Xavier, meu pai tambem foi incompreendido por um longo período, mas ser incompreendido, não era tão importante pra ele. Sua missão (segundo ele) era educar seus filhos, prover sua família e manter a paz, enquanto estudava, lia, escrevia e rezava, todas as noites, quando chegava do trabalho.
Foi com ele que aprendí a ler e escrever, conhecer cada músico erudito (vida e obra) literatura, pintura e a respeitar todas as crenças. Foi com ele que aprendi a perdoar e ajudar sempre que possível, quem quer que fosse. Só mais tarde descubri que essas são as regras primordiais do kardecismo.
Talvez tenha sido por todas essas coisas que entrei no cinema, cheia de dúvidas e sai de lá em paz.
Pode ser que ele próprio tenha estado lá rezando com Chico, comigo, com todos, a mesma oração que me ensinou quando eu era pequena:
“Pai Nosso....”

13 comentários:

Rafael Belo disse...

Que belo. texto arrepiante a deixar maravilhado :D. Feliz Páscoa com conhecimento para o corpo, a mente e o espírito. beijos

C. Marley disse...

Nobre colega Isolda,

Texto simples, mas de grande significado e valor moral, como era a pessoa de Chico Xavier, com a sua enorme bondade, caridade e amor ao próximo.

Um grande abraço

daufen bach. disse...

OLá... prazer!
te vi na casa da poesia e passndo conferir teu blog. coisa boa de ler, adorei o conteúdo. sorri demais com a
sutileza e a simpatia do dentista!...kkkk.

abraço a ti.

daufen bach.

De Paula disse...

Olá, Isolda, aqui é o De Paula, jornalista de Maringá-PR, do blogdodepaula. Preciso te enviar um e-mail com perguntas para uma entrevista para o nosso canal online www.tvgirafa.com.br. Por favor, me passe o seu e-mail. As perguntas serão sobre sua carreira de compositora, o que representa a música na sua vida, no que vc está trabalhando agora. Perguntas desse tipo. a TV Girafa é o primeiro canal de tv na internet de maringá e um dos primeiros do Paraná. Agora resolvemos publicar textos e vc é nossa vonvidada. O nosso é tvgirafa@gmail.com ou imprensadepaula@gmail.com. Ok?

Fico aguardando seu e-mail.
Abração!
De Paula

Geraldo Brito (Dado) disse...

Muito bom seu blog. Parabéns por ele e por seu trabalho.

Ivy Farias disse...

E o filme em si é bom?

Isolda disse...

Oi Rafael, obrigada
bjs

Isolda disse...

Concordo Marley, grande homem Chico Xavier! bjs

Isolda disse...

Oi Daufen
Bem vindo! Obrigada
bjs

Isolda disse...

Oi De Paula
Estou á disposição.
bjs

Isolda disse...

Oi Geraldo
Bem vindo e obrigada!
bjs

Isolda disse...

Olá Ivy
Bem vinda!
bjs

Ayrton Montarroyos disse...

Sou espírita, após ter passado por igrejas evangélicas, católicas....
Só no espiritismo eu encontrei a verdadeira lógica da vida e Chico Xavier, sem dúvidas, foi o grande intérprete das palavras espirituais e um grande exemplo de vida e humildade!
Beijos, Ayrton.