sábado, 1 de novembro de 2008

ANIVERSÁRIO DO MEU MELHOR AMIGO

No momento, tenho em casa as temporadas de Sexy and the City e sempre que sobra um tempo, lá vou eu assistir mais um pouco.

No fundo é uma história de amigos e quer coisa mais importante? Amigos de todos os tipos; amigos dentro da família, fora da família, amigos de profissão, de balada, amigos virtuais, de infância, antigos e novos, não importa. São amigos. 
E quem se importa com defeitos, se a gente sabe muito bem que ninguém é perfeito? São eles que no momento mais difícil estão lá, aqueles que sempre estiveram. Também são eles que nos momentos mais felizes estão ali, curtindo junto. Como seria o mundo, sem eles? 

Quem é que dividiria com a gente as experiências, os momentos, as alegrias e as tristezas? Quem é que teria coragem pra dizer "Tá aí, não achei que foi uma boa você fazer isso ou aquilo..." E a gente escutar, avaliar, pra depois chegar à conclusão que ele estava certo. Ou não...
Porque a verdade é que amores, maridos e amantes, muitas vezes não são pra sempre, mas amigos, os de verdade; são.

Tenho amigos de mais de vinte anos de amizade, que conhecem minha alma mais do que eu mesma, e que eu conheço como a palma da mão. Vira extensão da gente. Uma referencia como RG. Amigos irmãos. 

Assim como meu irmão-amigo que era meu irmão por acaso, porque acima de tudo, sempre foi o amigo.
Na semana que passou, fez mais um ano que passei sem ele e no próximo dia 13 seria seu aniversário. Um dia a gente se vê.




4 comentários:

Claudia Pimenta disse...

oi isolda! ah, os amigos são realmente mt importantes! sempre vi sex and the city assim, como uma história de amizade! bjs e bom fim de semana!!!

Carlos Marley disse...

Nobre colega Isolda,

A saudade e a lembrança de Milton Carlos através de trechos de músicas

Amanheci chorando por você (idem - Athur/Calahad);

Pra me consolar
Eu fiz do ontem o hoje
E do hoje o amanhã
Pra te ver aqui (Samba quadrado - Isolda/Milton Carlos)

A saudade não contada
Toda lágrima calada
Não posso guardar (Amigos, amigos -Isolda/M.Carlos);

Mas tempo vem, tempo vai.
A saudade se dá sei
Eu sei (Amanhã é outro dia - Isolda/M.Carlos);

Sem assunto
O verde das águas no olhar
O branco das mãos no tocar
Os versos no amor de quem diz
A música entorno que fiz (Ana Claudia - Isolda/M.Carlos);

Eu fiz tão tua essa cantiga
Ela é minha velha amiga
Das noitadas, das insônias Cantiga nº. 1 - Isolda/M. Carlos);

Ele me falou
Dos seus momentos bem vividos
Da sua amargura e dos versos
Que registraram seus sentidos
Rosto de menino
Riso de criança
Alma de poeta
Amigo, amigo
A palavra, a voz
Que marcaram a fase maior
Dos acordes de um violão
Num sorriso que o tempo não traz
Mais não... (Confidências - Isolda);

Não é fácil esquecer o que foi de nós dois
Não é fácil pra mim te deixar pra depois
Se eu esqueço de mim pra lembrar de você (Contra-senso - Martinha/M. Carlos);

Nosso sonho terminou
Por que é que tudo é tão triste
Até meu canto tem tristeza
Tem só pranto
Desta vez foi de verdade
Te perdi (Desta vez te perdi - Isolda/M. Carlos);

Hoje sentí que é bem melhor
Darmos as costas pro pior
Que está bem perto (Elas por elas - Isolda/M. Carlos);

Vendo você me vejo como antigamente
Mas hoje em dia a própria vida
É pouca para tanto amor
Assim você vai existir no meu passado
Como um mito, como um fato
Tão amado (Enredo - isolda/M. Carlos);

Você mudou de vida e a minha vida
Já não pode incluir você
E eu te olho de longe, parado
Sem jeito ou direito de ir lhe dizer (Eu e companhia - Isolda/M. Carlos);

Se eu pudesse
Te nascer de novo
Eu juro que te morreria minha
Quero te amar
Como se tem na própria sorte
Pela vida, pela morte
A certeza de viver (Eu juro que te morreria minha - Isolda/M. Carlos);

Se eu pudesse
Te nascer de novo
Eu juro que te morreria minha
Quero te amar
Como se tem na própria sorte
Pela vida, pela morte
A certeza de viver (Foi ela um tema de amor - Isolda/M. Carlos);

Irônica sombra um meio de mim
Irônica porta que fecha meu fim (Irônica - Milton Carlos);

Eu sei da poeira
De todos os seus passos (Jogo de dmas - Isolda/M. Carlos);

tua imagem é a entrada
Como a estrela prateada
Que brilhou por te ver (Maria de tal - Isolda/M. Carlos);

Me mata
Se é por amor ou por prazer (Me mata - Isolda/M. Carlos);

Ah! Que saudade me dá
Ah! Que saudade me dá
Do bate papo
Do disse-me-disse
Lá do Café Nice
Ah! Que saudade me dá (Memóiras do Café Nice - Artúlio Reis/Monalisa);

Na avenida braço divisa de Deus (Tele-rodovida - isolda/M. Carlos);

Meu Deus, se eu pudesse
Abrir os meus braços
E ajudar alguém se levantar (Vexame - Isolda/M. Carlos);

Não sei se em algum momento
Tive a impressão de ouvir a sua voz aqui
Dizendo que a noite é infinda
Que é cedo ainda pra me despedir (Um acalanto - Isolda/M. Carlos);

Viver intensamente ao som de um compasso
Fonte de um amor sem fim
À luz de um lampião
Sentir meu coração
Bater mais forte ao te olhar
Por contemplar teus olhos
Me pedindo pra essa valsa
Nunca terminar (Uma valsa por favor - isolda/M. Carlos);

Vem pra me dizer
Que os poemas
A chuva tão fina
Que molhava as calçadas
Já não dizem mais nada (Último samba-canção - Isolda/M. Carlos);

meu telefone
Até agora eu não troquei
E nem vendi
Nos discos que comprei
Tenho certeza que você vai se ligar
Nas músicas que fiz
A maioria você tem que se encontrar (Você precisa saber das coisas - Isolda/M. Carlos);

Nóis se alembra de você
Até o final de nossas vida (Saudade do Bexiga - isolda/M. Carlos);

É assim que eu sei te amar.(Um jeito estúpido de te amar - isolda/M. Carlos).

Um grande abraço

Isolda disse...

Claudia,
Sexy and the city é bem o retrato da amizade feminina mesmo, quando fui ao cinema ver o filme, 95% da plateia era feminina.Interessante, não? Beijos. Parabens pelos blogs. Estou sempre lá...

Isolda disse...

Oi Marley!!
Obrigada de coração por essa homenagem. Vc é um amor, mesmo.
Beijos